Posted on 1 Comentário

Solidão no meio da Multidão

alone-1869914_960_720

A maternidade, mesmo que rodeadas de pessoas, pode ser bastante solitária.

Não há quem nos entenda, ou assim parece.

Não há nada que esteja bem feito, ou assim parece.

Há sempre um outro lado, bitaite, ideia, opinião, forma, sugestão.

 

há sempre uma pessoa que nos diz que tudo está mal.

mas a maternidade não tem manual de instruções, e é um poço sem fundo de possibilidades e caminhos,e bifurcações, e informação, oh, demasiada informação, e uma pessoa fica submersa, perdida, inundada, invadida, cheia de medos… e…

 

sozinha

 

e depois podemos ou não descobrir que tudo o que sabíamos, conhecemos, praticamos pode ser alterado. MEDO

alguém nos diz que algo que fizemos pode ser alterado, corrigido, mudado e ainda vai a tempo. e nós duvidamos, e julgamos que nos atacam, defendemos o que sabemos e conhecemos. afinal, ninguém conhece o fundo do mar, se não lá entrar. MEDO

alguém nos diz que tudo o que conhecemos….

pode ser diferente

 

e depois falam em recomendações, em teorias, em estudos, em evidência, em experimentos, em coisas reais! e testemunhos! e há todo um outro mundo!

mas quem está ao nosso lado… deixa-nos sozinhas… porque somos loucas, malucas, alucinadas. que aquilo são falácias, e continuam a puxar-nos para a praia, quando nós queremos entrar no mar. e estamos ali na beirada…

sozinhas

 

e por estas e por outras, que cada vez mais desejo que nenhuma mulher se sinta SOZINHA! mesmo que pelo Facebook, ou pela internet fora, ou por algum café da esquina, hajam mãos dadas, ofertas de carinho, informação.

mais informação, mais segurança, mais saber e conhecimento,

menos MEDO, menos ataques e defesas…

 

porque afinal,

* Babywearing
* parto natural e informado
* apego
* Amamentação/aleitamento prolongada e exclusiva até aos 6 meses
* disciplina positiva/parentalidade consciente
* BLW
* alimentação saúdavel
* co-sleeping ou cama compartilhada
* aromaterapia
* alternativas educacionais amigas das crianças

… não é nada do outro mundo, mas é um outro mundo para muitas pessoas, novas realidades, conhecimentos, informações. um fundo do mar a descobrir e estudar. e é um Mundo lá debaixo…

 

e que as mulheres, seja no café, ou com as amigas, ou num chat ou grupo de facebook, encontrem a companhia que precisam, o apoio e a mão dada. porque afinal

não estamos sozinhas


traposemamas.blog

traposemamas.com

facebook.com/traposemamas

facebook.com/aromasemamas

www.youtube.com/c/traposemamas

 

Posted on Deixe um comentário

Benefícios do Babywearing para a Mãe

Já se falou dos benefícios para os bebés ao serem carregados.

woven-wrap-1407197_1920.jpg

 

Mas será que é só para eles que há vantagens? Não! É que é para todos! :p

Todos mesmo: carregador, pai, mãe para toda a família!

 

Começamos pela mamã:

– “devolução” dos dois braços ao seu corpo

– dá para limpar, arrumar e fazer pequenas tarefas com o bebé juntinho a nós reduzindo a probabilidade de choros

– alivia as dores das costas e braços pelo colinho que damos aos nossos tesouros

–  mãozinha extra para a amamentação

– bebé mais calmo = mamã mais calma

– bebé e mamã confortáveis, seguros e confiantes

– a proximidade ao bebé e a libertação das hormonas do amor ajudam a diminuir a possibilidade de depressão pós parto, e ajuda a aliviar o Baby Blues

– é mais fácil cuidar dos bebés e entender as suas necessidades: a proximidade promove a linguagem “sentida” – não falada, não expressa

– é muito mais fácil sair de casa! para ir levar o lixo, passear o cão, ir à padaria, etc!

– eliminamos obstáculos: não temos carrinhos, escadas, degraus, caminhos estreitos, carros nos passeios, “porcarias” no chão – a chatear-nos o passeio

– não passeamos o carrinho e andamos com o bebé no colo 😉

– até nos transportes públicos é fácil de andar!

– é mais económico: panos, slings e outros porta bebés são muito mais económicos do que carrinhos

– protege as crianças do mundo: beijos, abraços, colo, mexer nas mãozinhas (que irritam qualquer mamã)

– evita a estimulação – ruídos, multidões, poluição – o mundo é muito mais calmo ao colo da mamã

– melhor que qualquer ginásio! é quase como estar grávida – mas com facilidade de “deixar” a barriga, temos um peso crescente a carregar e transportar, o que ajuda os músculos a trabalhar e desenvolver

– ajudam na reeducação postural, pois todos os movimentos que fazemos são menos bruscos e mais controlados, nomeadamente quando nos baixamos, temos de o fazer dobrando correctamente os joelhos e não atirando as costas para o chão.

 

Benefícios para o papá:

– tem um bebé e uma mamã calma em casa

– estreita os laços com aquele ser pequenino que também é dele

– facilita a comunicação e interacção com o bebé

– ajuda a mamã!

– fazem exercício 😉

 

Benefícios para toda a família:

– bebé calmo = mamã calma = todo o mundo está feliz! 😉
http://www.wearsthebaby.com

What Is Babywearing?


traposemamas.blog

traposemamas.com

facebook.com/traposemamas

facebook.com/aromasemamas

www.youtube.com/c/traposemamas

Posted on 1 Comentário

Benefícios do Babywearing para os bebés

O colo, a mãe, o calor, o amor são tudo o que o bebé precisa!
E o babywearing proporciona tudo, ao mesmo tempo! E ainda tem vantagens!!!
FB_IMG_1481303056665

 

* ajuda a reduzir o choro dos bebés em aproximadamente 50%

* ajuda a reduzir as cólicas, o refluxo e regurgitação

* ajuda na amamentação

* favorece o ganho de peso

* acalma

* promove um desenvolvimento saudável da coluna e das ancas do bebé
* ajudar a prevenir e a corrigir displasia da anca
* melhora o desenvolvimento muscular, a coordenação motora e o sentido de equilíbrio
* posição de aconchego e conforto físico e emocional – posição intra-uterina
* permite aos bebés passar mais tempo num estado calmo e alerta, ideal para a aprendizagem e desenvolvimento
* optimiza o desenvolvimento mental e ajuda a desenvolver capacidades sociais (percebendo desde cedo as regras da comunicação) e percebendo as expressões faciais
* sentem-se mais integrados na rotina familiar, melhorando assim a sua capacidade de comunicação e interactividade
* são mais independentes e interagem melhor com o meio envolvente
* mantém-nos em segurança dos perigos do dia-a-dia (pessoas que gostam de por a mãozinha no bebé e dar beijinhos e pegar neles e… e…. e….)
* ficam mais tranquilos, dormem mais e melhor – com o embalo contínuo e o coração da mãe, o bebé sente-se novamente no útero
* respiram ar mais puro – o ar na altura do carrinho é o mais poluído por pós e gases dos tubos de escape dos carros. Essa poluição é dissipada com a altura.

* previne contra deformações do crânio (plagiocefalia) devido ao uso excessivo da babycoque/ovo ou cadeiras de passeio

 

Vários pediatras e pesquisadores na área infantil, relatam os benefícios de nos primeiros tempos de vida, criar um ambiente parecido ao que o bebé, tinha no útero materno. Durante nove meses, o bebé esteve num ambiente intra-uterino, aconchegado, aninhado, com o seu corpo em posição fetal e com os barulhos do organismo da sua mãe (como o bater do coração) e, de um momento para o outro, após o parto, encontra-se esticado, longe do calor e da pele da sua mãe, numa caminha só sua e em perfeito silêncio.

 

Ao deitarmos o bebé na cama ou no berço, ele vai sentir-se só! A sua mãe de repente desapareceu!!! Ele não é balouçado, como era. Os ruídos cardíacos e intestinais que o acompanharam ao longo de sensivelmente 40 semanas, também já não se fazem escutar e o espaço onde está deitado é tão grande que até dá para estar todo esticado! É uma grande mudança, que não pode ser radical.

000.png

Tentar simular o que o bebé sentia ao longo da gravidez, transportando o bebé junto à mãe no colo, é a solução. Mas nem sempre estamos preparadas para carregar um bebé durante tanto tempo na mesma posição, especialmente quando ele começa a ganhar peso. Assim, o transporte ao colo é, muitas vezes, substituído pelo carrinho (uma troca que, em termos emocionais, prejudica a relação).

22d13a492e050bddc22a3e8ba82d059f--baby-wraps-baby-wearing

Em algumas culturas indígenas onde transportar o bebé ao colo (Babywearing) é comum, os bebés choram normalmente alguns minutos por dia. Ao contrário dos bebés ocidentais que chegam a chorar horas por dia. Chorar em demasia pode prejudicar o desenvolvimento mental do bebé, devido à quantidade de hormonas de stress que inunda o cérebro do bebé. Assim os bebés que não choram tanto, vão gastar as suas energias em actividades mais importantes como comer, observar, brincar e até crescer.

 

 

Estudos apoiam não só a segurança do babywearing, como o estabelecem como um imperativo biológico.

https://bwbrasil.wordpress.com/artigos-sobre-babywearing/10-razoes-para-voce-usar-um-sling/
http://www.wearsthebaby.com
https://babywearinginternational.org/what-is-babywearing/